Executivos e empresários estão sempre preocupados com o ambiente econômico. Como será a previsão econômica para o próximo ano, como a economia se expandirá, qual será a inflação projetada, as taxas interbancárias, o nível de emprego, a produção e, o que esperar do comportamento dos consumidores. A economia necessita ser analisada, bem como  picos e vales irão ocorrer. Da mesma forma, o ambiente de negócios é analisado e projetado pelas companhias. Os executivos das empresas planejam para determinar como as vendas e Bons tempos e Maus Tempos – Uma Dicotomia de Líderesprodução podem ser acrescidas, como aumentar a participação de mercado, como os custos serão controlados, quais são os lucros esperados, como gerenciar o fluxo de caixa e, como maximizar a riquesa para o  acionista.

O time de administradores desempenha um importante papel estabelecendo a estratégia, desenhando e implementando os planos táticos e operacionais, no sentido de atingir os objetivos propostos. Para colocar o desenhado plano em ação, especialistas em produção, vendas, recursos humanos, tecnologia da informação e finanças, estão unidos em torno do objetivo comum. Para liderá-los, executivos são designados pela governança.O líder em geral é um/a experimentado/a e talentoso/a profissional com uma comprovada carreira. Mas quais talentos, capacidades o líder traz para a equipe e para a organização?

Tem sido observado que, dependendo do ambiente econômico e de negócios, em bons tempos empresas são dirigidas por profissionais especializados em vendas e, em maus tempos empresas são dirigidas por profissionais especializados em finanças. Quando as vendas estão crescendo, quando novos produtos são um sucesso, quando a produção está em expansão, está claro que o plano foi desenvolvido por um time de grandes idéias, bons projetos, boa produção, suprimentos, tecnologia da informação e, mais do que tudo, um grande senso para vendas, focado nos clientes e no mercado. Aqueles responsáveis por estes resultados são, por certo, da área de marketing. Os executivos de finanças não são os líderes desse processo. Eles são os seguidores.

Por outro lado, analise a administração de companhias em tempos difíceis. Observe quando as vendas descrescem , o produto se torna obsoleto ou não tem apelo comercial, os custos são crescentes, a taxa de juros é alta,o débito se torna  maior, ou a rescessão bate às portas das empresas. Neste momento a governança prefere um lider com capacidade para transformar o cenário desfavorável, usando de fortes e amargas medidas financeiras combinadas, e trazendo a empresa para o caminho certo. O líder de formação financeira é aquele para conduzir a tarefa. Esta não é uma tarefa agradável e tem sido observado que profissionais das áreas de vendas não tem sucesso nestes tempos depressivos. Os profissionais de vendas, em tempos difíceis, são os seguidores das decisões emanadas pelos líderes financeiros.

Para concluir, a dicotomia entre executivos de vendas e executivos de finanças liderando empresas não é novidade e, permanecerá duradoura. Os desafios são globais e dependendo do cenário, líderes com ferramentas especiais, técnicas e, habilidades, serão aqueles que gerarão lucros para as empresas. A governança é a única responsável na decisão de qual o tipo de liderança a empresa necessita.